faq

O Projeto Empreende Porto.Juventude é uma iniciativa da Câmara Municipal do Porto e da Fundação da Juventude e propõe-se desenvolver iniciativas continuadas que visam a promoção de uma cultura empreendedora junto dos jovem promovendo e afirmando a Cidade do Porto, e o norte do país, como Cidade Jovem Empreendedora de referência.

Esta iniciativa dirige-se aos jovens que pretendam obter informações sobre a temática do empreendedorismo jovem e/ou pretendam dinamizar uma ideia de negócio na cidade do Porto.

Poderá participar no Projeto apenas se estiver interessado em desenvolver uma ideia de negócio no Município do Porto.

As principais iniciativas deste Projeto são:

  • Roteiros do Empreendedorismo
  • Semana do Empreendedorismo
  • Concurso de Ideias
  • Conferência dedicada ao Empreendedorismo Jovem
  • Programa Anual de Formação e Mentoring

Para obter mais informações sobre a participação nas atividade do projeto, por favor enviar email para XXXXXXX.

faq

  • 1. A IDEIA

    • A avaliação de viabilidade de uma ideia deve ser feita em duas perspetivas:

      • Viabilidade técnica - Viabilidade de executar a ideia ou solução pensada, do ponto de vista de know-how e recursos técnicos disponíveis.
      • Viabilidade económica - A ideia ou solução pensada constitui-se como oportunidade de negócio? As oportunidades de negócio resultam de necessidades não satisfeitas ou que podem ser satisfeitas de uma forma diferente e melhorada, relativamente às soluções existentes.

    A Fundação da Juventude no âmbito do Projeto Internacional “Empowering Youth Potential” desenvolveu uma ferramenta de apoio ao empreendedorismo jovem, centrada no objetivo de apoio à criação da tua própria empresa tendo por base a tua própria ideia de negócio, denominada de “Virtual Kit”

  • 2. MODELO DE NEGÓCIO

    Um modelo de negócio não é mais do que a planificação do processo de identificação e utilização de recursos, competências e parcerias, com vista à criação de valor.

    Qualquer modelo de negócios deve ter como objetivo a resposta às perguntas: Vendo o quê? Vendo a quem? Vendo como?

    Existem alguns modelos, já reconhecidos como uteis e validados pelos utilizadores, que podem ser utilizados na concretização desta etapa. Sugerimos aqui a utilização do “Business Model Canvas” – Este modelo surge da necessidade de estruturar, de forma simples, todos os passos necessários para a criação de valor.

    Download: http://www.businessmodelgeneration.com/canvas/bmc

    O Empreendedor deve preparar uma Apresentação resumida e uma apresentação mais detalhada.

    A primeira o “Pitch” pode descrever-se como: Discurso/apresentação, com o objetivo de despertar o interesse da audiência. Corresponde a uma apresentação durante o tempo de uma viagem de elevador (elevator pitch). Esta perspetiva de pitch responde bem às situações em que é preciso apresentar o projeto de forma sucinta e convincente.

    Algumas Dicas para tornar o “Pitch” mais eficaz:

    Não se limite a apresentar uma ideia muito teórica, adapte a sua mensagem ao contexto de uma conversa, para criar empatia;

    Utilize uma linguagem simples - Pense naquilo que quer dizer e explique a sua ideia de negócio de forma explícita, como se estivesse a falar com alguém conhecido. Evite palavras longas e frases complicadas. Use linguagem simples, mas correta. Seja natural: sorria, a expressão e o contacto visual, a energia que faz passar, são importantes;

    Torne o seu 'pitch' numa pergunta - Esta pode ser uma boa forma de dar a volta à questão e explicar ao seu interlocutor aquilo que faz ou a sua ideia de negócio. Por exemplo: "Sabe aquelas pilhas de papéis que se acumulam em sua casa e no escritório? A nível profissional, eu ajudo as pessoas a organizarem os seus documentos".

    Pratique em voz alta - Para saber se resulta, nada melhor do que praticar o seu pitch em voz alta e perante uma audiência, para obter feedback instantâneo. Pratique até se sentir confortável. O objetivo é apresentar o pitch em tom de conversação, de forma natural e confiante, sem parecer ensaiado.

    Se for preciso, esqueça o 'pitch' - Imagine que já está a meio de uma conversa com alguém, que de repente lhe pergunta aquilo que faz profissionalmente. Ou se arrisca a interromper o fluxo da conversa e a perder a atenção do interlocutor com um 'pitch' formal e artificial, ou aproveita o interesse demonstrado para explicar o mesmo informalmente.

  • 3. PLANO DE NEGÓCIOS

    Um Plano de Negócios é um plano base, essencial para a estruturação e defesa de uma nova ideia de negócios. Existem algumas qualidades num plano que fazem com que seja mais provável que este possa trazer resultados: Simples, objetivo, realista e completo! Para apoio na elaboração do plano de negócios, podem ser utilizados os documentos e instrumentos disponibilizados online pelo IAPMEI: https://www.iapmei.pt/PRODUTOS-E-SERVICOS/Empreendedorismo-Inovacao/Empreendedorismo/O-Plano-de-Negocios.aspx

  • 4. A CRIAÇÃO DA EMPRESA

    Existem diferentes tipologias tanto para empresas singulares como coletivas. Sendo elas as seguintes:

    • 1.Forma Singular - Empresário em Nome Individual;

      • Sociedade Unipessoal por Quotas;
      • Estabelecimento Individual de Responsabilidade Limitada.

    • 2.Forma coletiva - Sociedade por Quotas;

      • Sociedade Anónima;
      • Sociedade em nome Coletivo;
      • Sociedade em Comandita;
      • Cooperativa.

    Empresa on-line

    Para abrir a sua empresa online, tudo o que necessita é um computador com acesso à internet. Todo o processo é realizado através do Portal do Cidadão: (https://bde.portaldocidadao.pt/evo/Templates/GeralEO.aspx?NRNODEGUID={0AB79FDE-92FE-4BEF-84CE-962D954F4D59}"). Nesta página da Empresa Online, pode realizar diversas ações, incluindo registar qualquer tipologia de empresa, registar a marca, realizar o pedido de nome, etc.

    Empresa na Hora

    Através da iniciativa 'Empresa na Hora' poderá constituir uma sociedade unipessoal, por quotas ou anónima no momento e num só posto de atendimento. O processo de constituição de sociedades através desta iniciativa é extremamente simples e pode ser representado da seguinte forma: http://www.empresanahora.pt/sections/PT_como-funciona/

  • 5. FONTES DE FINANCIAMENTO

    As principais fontes de financiamento podem subdividir-se então em 3 grupos:

    • Financiamentos Próprios

      O que é suportado pelos sócios da empresa. Importa que os potenciais empreendedores, participem sempre no financiamento do investimento inicial com algum capital próprio, desde logo para atestar a credibilidade do seu projeto junto dos possíveis financiadores.

    • Financiamentos Alheios

      É o financiamento proveniente de fontes externas à empresa e que por sua vez poderá subdividir-se em dois tipos: as formas de financiamento tradicionais, mais conhecidas e utilizadas e as novas formas de financiamento denominadas por formas alternativas de financiamento.

    • Sistemas de incentivos

      Instrumentos da política económica, operacionalizados em quadros normativos, que definem condições de elegibilidade e formas de financiamento do investimento das empresas. Os sistemas de incentivos estão categorizados em programas de competitividade e programas regionais, Têm como objetivo apoiar a economia, nomeadamente através do tecido empresarial, contrariando a desigualdade de desenvolvimento regional no espaço europeu e estimulando os fatores de competitividade.


    Entre as formas de financiamento tradicionais encontram-se as seguintes:

    • Empréstimos bancários
    • Contas Correntes Caucionadas
    • Descobertos bancários autorizados
    • Leasing
    • Aluguer de Longa Duração (ALD)
    • Factoring e Renting

    As formas alternativas de financiamento são pois, vias menos convencionais de obter financiamento tais como:

    • Prémios e concursos empresariais
    • Microcrédito
    • Garantias Mútuas
    • Crowdfunding
    • Business Angels
    • Capital de Risco

    Tipos de Incentivos

    • A grande maioria das ajudas, associadas aos diferentes programas, é de três tipos:
    • Incentivos não reembolsáveis: os denominados incentivos a fundo perdido.
    • Incentivos reembolsáveis: empréstimos com ou sem juros que poderão usufruir de perdão de dívida parcial ou total.
    • Outros Incentivos financeiros: diminuição das taxas de juro de empréstimos e créditos destinados à atividade empresarial
    • Para aceder aos sistemas de incentivos a empresa deve procurar informação, que é pública e está disponível em sites próprios de cada Programa Operacional. Deve procurar situar a sua estratégia nas tipologias de projeto de investimento de cada programa e estar atenta aos “Avisos”.

AGENDAR REUNIÃO

[Image: Contact]

Precisa de ajuda?

Palácio das Artes | Largo de S. Domingos, 19 | 4050-545 Porto

Tel.: (+351) 223 393 530 | Fax: (+351) 223 393 544

info@empreendejovem.pt